sábado, 4 de fevereiro de 2012

Taça Comércio Local - 8ª Jornada - resultados


1 comentário:

maradona disse...

Viva rapaziada!

De volta aos triunfos, é verdade…
E k saudades já tínhamos nós de uma vitória, uma vitória k até poderia ter sido mais confortável, tivessem os nossos atletas aproveitado as inúmeras situações de golo criadas, mas como tal não se verificou, acabamos o desafio com o “credo na boca”, com a equipa da casa nos instantes finais a tentar o “tudo por tudo”, mas insuficiente para chegar à igualdade.
Mas voltando ao início da partida, o Macieira adiantou-se no encontro através de uma grande penalidade, bem assinalada pelo auxiliar do lado dos bancos de suplentes, os “Jovens Rebeldes” como é seu timbre, deslumbraram-se com o golo obtido, e um minuto depois sofreram o golo da igualdade, num lance em k a defesa teve todo o tempo do mundo para enviar a bola prá “tapada”, no meio da confusão lá surgiu alguém a encostar para o fundo da baliza, ao intervalo registava-se um empate a uma bola.
Na segunda parte, os “Jovens Rebeldes” entraram melhor e chegaram com naturalidade ao segundo golo, tendo ampliado para dois golos de diferença ainda em antes da última meia hora de jogo, mas os anfitriões empertigaram-se e foram à luta por outro resultado k não aquele, conseguindo reduzir para 2-3, e só não igualaram a partida por falta de pontaria, acabando por ainda não ser desta k chegam aos tão almejados pontos.
Pessoalmente, espero k eles consigam inverter a tendência negativa k actualmente atravessam, pois têm todas as condições para o fazer; força “Malta de Santiago”!
Sobre a equipa de arbitragem destacada para o desafio em questão, mais uma vez e como nos tem habituado ano após ano, estiveram ao seu melhor nível, bastante concentrados no jogo (todos eles), acho apenas k o Sr. juiz foi demasiado rigoroso em algumas das cartolinas amarelas exibidas, já nas duas expulsões registadas na partida (uma para cada lado), fez o k devia fazer, não lhe restando outra alternativa senão a de expulsá-los!
Para quem não assistiu ao jogo e olhasse para o número (na minha opinião exagerado) de cartões k ambas as equipas acumularam ao longo do desafio, ficaria com a ideia de k houve uma batalha campal ou algo do género, pois nada de mais errado, já k nada de semelhante se verificou, os atletas é k tem k se convencer de k quem manda em campo é a equipa de arbitragem e como tal devem respeitá-los e não discutir a “torto e a direito”, acabando por vezes no insulto, e o Sr. Angelino e seus pares merecem todo o respeito, pois tratam-se de 3 homens correctos e neutros, k entram em campo apenas e só com o intuito de realizar o seu trabalho de uma forma íntegra, e meus amigos, quando assim é…

Para certos atletas: Num rectângulo de jogo e enquanto duram os 90 minutos, sempre k ocorre o diálogo com o árbitro, falar é de prata, mas na maioria das vezes o melhor mesmo é estarem caladinhos, pois o silêncio é de ouro!!!

El Pibe!

“Carpe Diem”…